Aviso: O conteúdo aqui apresentado tem uma finalidade exclusivamente informativa sobre um tipo específico de jogo e como jogá-lo. O objetivo deste conteúdo não é nem promover nem disponibilizar um tipo de jogo, mas simplesmente informar o jogador acerca de como jogá-lo.

____________________________________________________________________________________________________________________________

Na próxima vez que se encontrar numa mesa de blackjack, a adicionar e subtrair valores de um baralho de cartas e, com sorte, a ganhar um pouco de dinheiro no processo, reserve um momento entre mãos para agradecer a Edward O. Thorp. Ele é o professor universitário de matemática que se tornou num génio do mercado de ações que inventou a contagem de cartas, escreveu um best-seller chamado "Beat The Dealer" e pode ser considerado o pai do jogo de vantagem moderno.

Quatro anos antes da publicação do livro de Thorp em 1962, ele estava a contemplar formas de vencer a roleta e já tinha criado o primeiro cartão de estratégia básica do mundo - aqueles retângulos laminados de bolso que dizem aos jogadores cada jogada correta a fazer no blackjack. Conforme relatado no seu livro novo, “A Man For All Markets”, em 1958 Thorp e a sua esposa decidiram passar o Natal em Las Vegas, a jogar um pouco de blackjack.

Na época, o blackjack era uma atividade na qual os jogadores não tinham hipótese de ganhar dinheiro a longo prazo. Na verdade, eles provavelmente perderiam muito dinheiro como resultado de um jogo aleatório. Enredado no mundo dos jogos e da matemática, porém, Thorp tinha conhecimento de uma abordagem para jogar blackjack - que mais tarde ficou conhecida como “estratégia básica” - que havia sido desenvolvida por quatro homens nas forças armadas dos Estados Unidos. Esta reduziu a vantagem da casa para 0,62 por cento.

Thorp sentou-se com um saldo de 10 dólares e o seu cartão caseiro que lhe disse o que fazer com todas as mãos possíveis contra cada carta exposta do dealer. Ele tinha  8,50 dólares restantes antes de desistir - e tornou-se otimista acerca da conquista do jogo, aprendendo à sua própria maneira como jogá-lo. Os dealers e outros jogadores riram-se dele por consultar o seu cartão e fazer jogadas – pedir carta com um soft 18 contra a carta exposta do dealer de 9, por exemplo - que parecia ridículo na época, mas é a norma agora. “A atmosfera de ignorância e superstição em torno da mesa de blackjack naquela noite convenceu-me que mesmo os bons jogadores não entendiam a matemática subjacente ao jogo”, escreve ele no seu livro. “Voltei para casa com a intenção de encontrar uma forma de ganhar”.

 

bj hit

 

Na biblioteca da UCLA, na secção de matemática onde trabalhou incessantemente, Thorp trabalhou nos números e chegou à inovadora conclusão que o jogo de blackjack muda com base nas cartas restantes a serem distribuídas. Em 1959, Thorp tornou-se professor no Massachusetts Institute of Technology. Depois de aprender a programar no computador da escola, ele criou um sistema para controlar das cartas que já tinham sido distribuídas, apostando mais quando as cartas restantes apresentavam vantagens para os jogadores, apostando menos no caso contrário e desviando-se da estratégia básica quando a matemática indicava que tal movimento seria correto.

Resumindo, ele criou o sistema que os contadores de cartas ainda hoje usam. Em 1961, depois de Thorp divulgar suas descobertas, ele juntou-se a dois empresários de Nova York que estavam ansiosos por fazer um teste em Reno, NV. Eles juntaram um total de 10.000 dólares (o que equivale a 80.000 dólares em 2016). Em pouco tempo, Thorp estava a espalhar entre 50 a 500 dólares num jogo de baralho único distribuído por baixo. Desconfortáveis com a sua forma de ganhar, os proprietários de casinos exigiam que seus dealers baralhassem as cartas com a máxima frequência possível para evitar que o matemático ganhasse de forma consistente. Claramente, o sistema de Thorp funcionava.

Depois de alguns dias, porém, ele experienciou a maldição de todo o contador de cartas que o seguisse. “O casino impediu-nos de jogar”, escreve ele. “Perguntei ao gerente qual o motivo. Ele explicou, de maneira amistosa e cortês, que me tinham visto a jogar no dia anterior e ficaram intrigados com as minhas vitórias constantes a uma taxa grande para o tamanho das minhas apostas. Ele disse que tinham decidido que estava envolvido um sistema. ”

Eles estavam certos. No final, rendeu 11.000 dólares de lucro por meio de apenas 30 horas de jogo (isto seria o equivalente a um lucro de 88.000 dólares hoje em dia, quase 3.000 dólares por hora). No verão de 1961, Thorp estava a escrever “Beat The Dealer”, um livro que apresentaria ao mundo a sua estratégia inovadora para jogar blackjack com uma vantagem matemática que virou mesas nos casinos. O livro tornou-se num best-seller. Legiões de fanáticos por blackjack seguiram os seus conceitos e ganharam fortunas.

 

bj 1961

 

Mas os casinos não aceitaram bem a derrota e Thorp, que começou a lecionar na Universidade do Novo México, passou a usar disfarces para enganar gerentes e pessoal de segurança com olhos de águia. Ele e seu livro foram publicados na revista Sports Illustrated e Life. Os proprietários de livrarias não conseguiam manter o livro nas prateleiras. Magnatas enlouquecidos de casinos realizaram uma reunião secreta no Desert Inn para tentar descobrir o que fazer com Thorp e aqueles que tinham sido inspirados por ele. O jornal local de Sin City, The Las Vegas Sun, retaliou com uma história tentando mostrar que a contagem de cartas não funcionava.

Obviamente, o repórter estava errado. Em seguimento do livro de Thorp, equipas de blackjack - como a famosa MIT Team, imortalizada no filme "21" – formaram-se e floresceram. Jogadas avançadas, como a estratégia do Big Player (em que alguém se junta na mesa, apostando apenas quando a contagem é positiva), aumentaram os lucros e dificultaram a detecção de manobras. Como escreve Thorp: “Eu vi-me barrado, enganado, traído por um representante do conselho de controlo de jogo e, geralmente, visto como persona non grata nas mesas. Senti satisfação e vingança quando a grande besta entrou em pânico. Era bom saber que, apenas sentado numa sala e usando matemática pura, eu poderia mudar o mundo ao meu redor ".

Em 1964, à medida que o jogo de vantagem disparou, Thorp trocou o blackjack por um desafio maior: o casino conhecido como Wall Street. Tendo reconhecido que “apostar é investir de modo simplificado”, ele passou a vencer esse jogo maior e mais desafiador, recolhendo somas de dinheiro que capitalizam as ineficiências e fazem os lucros do jogo com vantagem parecer trocos. Claramente, como ele provou através de corridas bem-sucedidas contra o blackjack e o mercado de ações, “Grandes investidores são geralmente bons em ambos”.

Related Content

Quais são as vantagens e as desvantagens das equipas de contagem de cartas no Blackjack?

O que é a aposta de seguro no blackjack?

Como Jogar um Par de 7s no Blackjack

Como é que os casinos “apanham” os contadores de cartas?

As melhores e piores mãos iniciais no Blackjack

Deve o Jogador Aceitar o “Even Money” Quando Joga Blackjack?

Contagem de Cartas Avançada: Desvios à Estratégia de Blackjack

Como Jogar Soft 19 no Blackjack

Quando fazer divisão no blackjack

Quatro Razões para a Popularidade do Blackjack